April’s Fool.

Hoje é o dia do tolo. Hoje é o dia que eu me lembro o quanto eu me dediquei ao teu sorriso, e o quanto tu mereceste. Hoje o dia em que me olho no espelho e vejo a piada que tu me pregaste – e que mesmo de muito bom humor, ainda não consigo rir. Não conseguiria, nunca. É hoje o dia em que finjo, para mim mesmo, como um chiste esquizofrênico, que te odeio, e que te tenho desprezo. Que tu és maligna, que me fizestes mal, que mereces todo o sofrimento que tens e que tentei tantas vezes afogar com os meus beijos molhados e presentes caros. Que não sinto a tua falta e que não preciso mais de ti para ser feliz. Finjo hoje, finjo amanhã. Hei de fingir por muito tempo. Até talvez o dia em que tu decidas que sim, sou um tolo, mas o tolo que queres aos teus pés, na tua corte.