Azar no Jogo, Azar no Amor.

É sabido que essa estupidez de “azar no jogo é sorte no amor” é conversa para vender sexo para jogador que perde no bacarat. O oposto, que volta e meia uma esquisita solta numa noite de buraco no Flamengo, não tem sentido prático. Ninguem perdeu um amor e pensou que devia ir ao Bingo, usar a maré brava amorosa para fazer uma linha. Dito isto, para de culpar o Cosmos por teus erros, para de deixar de lado a culpa, ou melhor, o culpado dos teus vacilos. És tu mesmo. Saiba.