Crowdpleaser

E é neste momento que eu deixo, de vez, de ser um agradador compulsivo. Claro que eu nunca fui tão desesperado como as pessoas normalmente são, pois intercalo meus momentos de agradabilidade com espasmos de estupidez e grosserias. Muitas vezes inconscientes, mas elas me mantém longe da estirpe de carentões que tanto desprezo. Mas é hora de mudar. Não quero dizer que foi ruim, ver o sorriso dos que amo faz-me feliz. Mas eu preciso cuidar da minha saúde. Nada mais de me cansar com frígidas, nada mais de trabalhar de graça. Nunca mais ignoro uma caimbra, e não mais sorrio por bobagens. Não mais compro bebidas para os outros nem dou caronas mesmo não tendo carro. Eu respiro, e vejo claramente que poucos merecem, e ainda assim são muitos. Mas é hora de pensar em mim, como todo mundo faz. Não estou arrependido, pelo contrário, tenho orgulho da minha carreira de boa praça. Mas ainda assim. Tenho fé que amanha, eu viverei mais decentemente. E talvez, a minha estupidez aja mais suavemente.