It’s been a long time.

Depois de noites e mais noites de insônia, intermitentemente aborrecidas por mensagens SMS desconcertantes, eu volto a pensar em você. Passo na frente do seu prédio colorido, toda semana, tentando criar uma rotina de sentimentos. Demorei, mas lembrei de como você me fez sentir. Paradigma econômico básico, o que se tem demais vale pouco.

Tento, e nunca consigo, entrar em contacto consigo. Passo horas perguntando-me se você era o carneiro ou o lobo, e sempre que eu chego a uma conclusão eu mudo de idéia. Você se comportou sempre como o lobo, mas quando nos encontrávamos, você tinha uma ternura e uma subserviência assustadora. Eu não ligo muito para a subserviência -aliás, desprezo - mas a falta da tua ternura não me deixa dormir.