Mais palavras para ti…

It’s my lack of ambition… well they tell me… that is missing

Há quem ache que os poucos beijos que escaparam da tua boca não deviam me deixar assim. Eu não devia me contentar com pouco, é verdade. E não me contento. Por outra vez eu tive que congelar minha masculinidade, e meus instintos primais. Mas a ternura que me sufoca quando te lambo os dentes não merece ser desprezada. Eu penso em cada detalhe sempre que te vejo, e nunca penso em nada quando te toco, é engraçado até. Não me contento com pouco… nada em ti é menor. És a única que me abala, és a única que me gela, e que me aquece com um toque. És a única que me tira o sono, que me ajeita, que me conserta. Que me ignora e que cuida de mim. A única que eu quero.