Mentira.

Depois de passar anos lendo histórias de amor escritas por virgens, eu passei a perceber algo estranho nos meus sonhos. Os meus fazem mais sentido que a realidade – não parece difícil não é?  Os meus sonhos tem pé e cabeça, tem seios e curvas.  Eles fazem tanto sentido que me marcam – e às vezes me enganam no dia a dia, quando lembro de fatos que tenho certeza que são reais mas que aconteceram só enquanto eu dormia. Muitas outras vezes eu sou chamado a atenção sobre fatos que realmente ocorreram, no mundo dos vivos, mas que eu não lembro – ou porque quis esquecer ou porque são insólitos demais para serem reais. Será que são? Eu durmo e sofro, as vezes mais intesamente do que nesta vida mundana e competitiva… mas sempre te encontro, sempre… sempre linda. Eu durmo e vejo que nada foi em vão, e que talvez, nessa realidade irreal, tudo o que aconteceu entre a gente é mentira.