Subo ou desço

Não foi uma cerveja que tomei, ainda que importada. Não foi afeição à pessoa ou mesmo à idéia. Não mesmo. Foi o desespero. Ou melhor foi o medo, o pavor de não saber absolutamente nada do que aconteceria. Nada. A falta de uma bússola, fosse ela magnética ou ideológica. Eu não sabia o que eu queria, o que seria de mim e como seria o dia seguinte. Eu nem mesmo apostaria as parcas moedas que tinha no bolso que o sol nasceria em algumas horas. Eu não sabia, não sabia mesmo. E pensando bem, ainda não sei.