Mais Possibilidades.

Eu poderia começar esse texto dizendo o quanto é difícil ser eu mesmo. Minhas dores, meus medos e meus desejos inatingíveis. Bobagem, discurso bonito para dizer o óbvio, que sou de carne e osso e que como todo mundo tenho sentimentos e vontades, ou o que o valha. Eu não peco sem vontade, eu não grito sem dor e não beijo sem paixão, ah isso não. Posso dizer também que não guardo rancores mas que desprezo gente mau-carater. Que me apaixono constantemente por coisas, ou frases, ou mesmo cores. Ontem me apaixonei pelo doirado do pão que comprei na padaria local. Colorações doiradas de acepipes que vão ao forno são figurinhas repetidas no meu álbum de paixões instantâneas. Posso confidenciar que não tenho muita paciência com homens e que a companhia de uma mulher, em qualquer circunstância, me agrada mais que a de um marmanjo. Prefiro ser atendido por mulheres, atender mulheres. Comprar de mulheres, vender para mulheres. Conversar com mulheres, discutir com mulheres. Prefiro mulheres, e ponto. E tu, sem dúvida és a minha favorita. Eu poderia começar esse texto dizendo o quanto eu gosto de ti. O quanto penso em ti, o quanto te desejo. Poderia mesmo.