Só uma coisa importa.

Eu acho o seguinte. O sujeito tem 40 e poucos anos, e conseguiu tudo na vida. Ele tem um excelente emprego, onde faz pouco, manda muito e ganha bem. É respeitado. Aprendeu sobre vinhos, viajou pela Ásia, leu os melhores livros. Tem dinheiro para se vestir muito bem, o mesmo dinheiro que comprou as revistas que aprimoraram o seu gosto. Comprou um carro importado e mora no melhor condomínio, do melhor bairro, da melhor cidade. Ele conseguiu ser o melhor, ter o que há de melhor, de mais fino. Divorciou-se, emagreceu. Malha, corre e come nos melhores restaurantes. Acontece que, ultimamente, carrega nos braços para lá e para cá um mulher que não bate com o que eu descrevi. Não faz sentido. É bonita, uma beleza comum, mas é bonita. Tem um corpo invejável, apesar de cobri-lo com parcas peças, e de qualidade baixa. Cabelo grande, liso, com dois ou três tons alourados. Não tem muito o que dizer, não viajou, não leu. E é isso, acabou. Não tem mais o que se falar. A pergunta que fica é para que esse sujeito procurou sofisticação em tudo na sua vida, menos na pessoa que devia compartilhar isso com ele…