Sobre bebês, asfalto e o sul da França

Nada me desespera mais do que ter de enviar cartões de felicidades à casais que recebem um novo filho. Há algo de histérico no meu comportamento e penso sempre em cortar relações com estas pessoas – por muitas vezes o faço. Não quero mais bebês neste mundo e não quero me relacionar com eles. Não quero mais pessoas que repetirão os mesmos erros que todos repetem. Canso. Não me anima ver uma nova geração de estúpidos. Todos são, porque estes não serão? É o sujeito que usa o asfalto de má qualidade para ter outro contrato em alguns anos. É esse tipo de coisa, não me tragam mais pessoas ao mundo! Hora dessas eu corro e faço o que faria ao envelhecer, retiro-me ao sul da França e esqueço que existem amigos, familia ou mesmo novos bebês.