Tréplica.

São as nossas obrigações. Temos responsabilidades. Temos que trabalhar, muitos dependem de nós. É a falta de dinheiro, é a o excesso de gente em volta. É a falta de culpa, é o excesso de amor. São noites que eu não vejo o teu sorriso lindo, que não bebo quinino, que não vibro com a tua maquilagem. São as noites que tu não ouves a minha voz. São dias que tu não estás onde deverias, tardes ocupadas com assuntos chatíssimos. São as horas que passas preocupada com a tua família, e eu, em menor escala, com a minha. Temos sim, corações enormes baby. Mas tu ocupas o meu com folga.
São as perguntas que tu sabes que eu não posso responder. São as respostas que eu não estou pronto para ouvir. Tu me provocas, eu te seduzo. Tu me chamas e eu atendo. Tu me queres e eu aceito. São os nossos amigos, a nossa história e a nossa bagagem. É a tua cama, é a minha, ainda maior sem ti… é o meu corpo, e o teu. É o som do teu telefone gritando quando eu ligo, e é a minha alma, morrendo sempre que me ligam e não és tu do outro lado.