Zero negativo.

Eis que chega a era onde a arte perdeu a graça e o valor, onde tudo e todo mundo é genial, onde nada mais parece autentico ou mesmo genuíno. Quando o que parece interessar os outros é o místico… é o metafísico, o mágico. O que fascina é o impossível. Pois é nesse mundo que eu levanto da cama com parcas forças para tentar de novo. É nesse mundo que eu secretamente tento ser um herói de mim mesmo, ainda que parecendo um vilão nos olhos de alguns, e um tolo aos ouvidos de outros. Ou outras. A minha motivação deixou de ser tão romântica, não tento provar à vida que ela está certa, ou que o cigarro não mata. Não tento provar a mim que vale a pena nem que não vale. Só tento fazer com que pare de doer um pouquinho para que na próxima vez que eu me levantar eu me sinta menos ilógico.